Idosa que morreu em ônibus era irmã de Moa do Katendê e iria para missa que lembrava do assassinato

3056

A idosa que morreu após sofrer um infarto dentro de um ônibus na Avenida Luís Viana (Paralela), em Salvador, é irmã de Romualdo Rosário da Costa, o Moa do Katendê, assassinado em outubro de 2018. Ela estava indo para a missa que lembrava um ano da morte do capoeirista quando sofreu o problema cardíaco, na tarde de segunda-feira (7/10).

A família estava reunida na Igreja da Nossa Senhora do Rosário dos Pretos quando recebeu a notícia sobre a morte de Edvaldina Vanderlei da Costa, que tinha pouco mais de 70 anos. Ela chegou a ser atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mas não resistiu. Os sobrinhos dela acreditam que a idosa ainda sofria pela perda trágica do irmão.

“Acredito que o emocional dela estava abalado e perdemos uma tia na mesma data em que meu pai morreu, em 7 de outubro. Ele foi morto no dia 7 e enterrado no dia 8 [assim como a irmã]. É uma coisa emblemática e difícil de superar”, disse Somonair Costa, filha de Moa. O corpo de Edvaldina foi enterrado nesta terça (8/10) no Cemitério do Campo Santo, ao lado do irmão.

ASSASSINATO

O compositor, dançarino e capoeirista foi assassinado na madrugada do dia 8 de outubro de 2018, na Avenida Vasco da Gama, próximo ao Dique do Tororó. O suspeito é Paulo Sérgio Ferreira.

Uma guarnição da Polícia Militar foi ao local e recebeu a denúncia de que o autor do crime teria fugido para um beco próximo. Lá os policiais encontraram um rastro de sangue até uma casa, onde prenderam o assassino escondido. O rapaz, no dia do crime, tentou ainda matar Germino do Amor Divino Pereira, de 51 anos, que tentou defender o capoeirista das agressões.

Paulo virou réu e vai a júri popular após a Justiça da Bahia aceitar a denúncia do Ministério Público (MP-BA) no dia 22 de outubro de 2018. A data do julgamento ainda não foi agendada pela Justiça baiana.