Professora para o Google: ‘Prostituta com quem adolescentes se iniciam na vida sexual’

Quem abriu a página do Google para checar o significado da palavra “professora” esta semana, provavelmente, se deparou com um resultado inesperado. Em uma das definições oferecidas pelo site no sistema de busca, lia-se “prostituta com quem adolescentes se iniciam na vida sexual”. A definição era a segunda opção do site e foi classificada como um brasileirismo, ou seja, uma palavra ou expressão peculiar do vocabulário brasileiro.

Nas redes sociais, os usuários se mostraram indignados com a definição e pediram ajuda de outras pessoas para denunciar o conteúdo. “Além de ofensivo, machista, misógino e sexista”. Além disso, muitos ressaltaram ainda que as definições da palavra no gênero masculino não têm nenhuma conotação sexual.

Apenas uma semana depois do Dia dos Professores, a polêmica foi interpretada por muitos como mais uma violência sofrida por profissionais da educação, especialmente as mulheres: “Repúdio total ao preconceito de gênero”.

Em nota (leia na íntegra abaixo), o Google informou que as definições disponibilizadas no site são resultado de uma parceria com diversos dicionários e podem incluir expressões coloquiais que podem causar surpresa. O site reforçou ainda que não tem controle editorial sobre as definições fornecidas, mas que reconhece a preocupação neste caso. Até o fechamento dessa matéria, a definição ainda não havia sido alterada.

Nota do Google na íntegra:

“Quando as pessoas pesquisam por definições de palavras na Busca, frequentemente, elas desejam informações de maneira rápida. Por isso, trabalhamos para licenciar conteúdos de dicionários parceiros, que são exibidos diretamente na Busca. Os resultados incluem usos coloquiais que podem causar surpresa, mas não temos controle editorial sobre as definições fornecidas por nossos parceiros que são os especialistas em linguagem. Reconhecemos a preocupação neste caso e vamos transmiti-la aos responsáveis pelo conteúdo.”