Após ataque a tiros, Rodoviários ameaçam paralisação nesta sexta-feira

2967

As primeiras 24 horas desde o anúncio de greve pela Aspra tiveram menos mortes em comparação às últimas três mobilizações de PMs no estado, Devido à parada deles, os rodoviários de Salvador também prometeram recolher os ônibus e não circular pelas ruas da cidade por medo da falta de segurança, após vários ataques á tiros.

Hoje, Um grupo armado disparou diversas vezes contra um ônibus no bairro do Uruguai, em Salvador. Segundo testemunhas, a ação aconteceu na tarde desta quinta-feira (10/10) na Rua Régis Pacheco, a principal da localidade.

Grupo atira diversas vezes contra ônibus no Uruguai
Microônibus é atravessado em via do Subúrbio; Sindicato avalia riscos em bairros
Ônibus é atravessado em Itacaranha, Subúrbio de Salvador, na noite dessa quinta (10)

Das 16h30 de terça-feira (8) até as 16h30 de quarta-feira (9), foram nove vítimas de crimes violentos letais intencionais (CVLIs), sendo cinco na terça e quatro na quarta.

Sete casos foram em Salvador, um em Camaçari e outro em Itaparica. Este ano, a média diária em Salvador e RMS tem sido de 3,9 registros por dia. Do início da greve este ano até a tarde desta quinta-feira (10), foram 18 homicídios, sendo quatro nesta quinta.

Em 2012, na greve que durou 12 dias, dez pessoas foram mortas em Salvador e Região Metropolitana nos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro – as primeiras 24h após o movimento ser decretado.

No dia 2 de fevereiro daquele ano, quando o movimento ganhou maior adesão, foram 14 vítimas de CVLIs. Na greve seguinte, decretada no meio da tarde do dia 15 de abril de 2014 e encerrada no dia 17 de abril, foram 39 mortes nas primeiras 24 horas, em Salvador e RMS, sendo 29 na capital.

Os números foram coletados pelos boletins diários de ocorrências da SSP-BA.