Banco empresta R$ 5,7 bilhões ao governo brasileiro para ampliar Bolsa Família

O Banco Mundial aprovou um empréstimo de US$ 1 bilhão (R$ 5,73 bilhões no câmbio atual) para reforçar a expansão do Bolsa Família. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (30/10) pela instituição financeira, que pretende beneficiar pelo menos 1,2 milhão de novas famílias no programa, resultando em 3 milhões de pessoas a mais atendidas.

A medida integra o projeto do banco para preservar a renda da população mais afetada pela pandemia de covid-19. “Espera-se que essas medidas reduzam em grande parte os impactos da Covid-19 sobre a pobreza em 2020, embora a perspectiva para 2021 continue incerta, uma vez que as medidas de auxílio emergencial têm prazo para expirar, e o mercado de trabalho continua devagar. A taxa de desemprego em agosto de 2020 atingiu 13,6%”, diz a nota.

“Antes da pandemia, cerca de 13 milhões de famílias estavam cadastradas no Bolsa Família. O projeto financiará a ampliação do programa, e expandirá a proteção para ao menos 1,2 milhão de famílias pobres que continuarão a precisar de apoio após o fim do Auxílio Emergencial”, defende o banco que emprestou o dinheiro. O empréstimo de US$1 bilhão ao Ministério da Cidadania tem prazo médio estimulado para pagamento em 7,88 anos.

AratuOn