Bolo “batizado” com maconha deixa oito pessoas internadas

Há algum tempo, encomendar um bolo exigia tempo e disponibilidade para ir até uma confeitaria fazer o pedido. Com as redes sociais, essa prática se tornou muito mais rápida e fácil, já que as encomendas podem ser feitas diretamente pela internet. Depois, é só curtir o momento mágico se deliciando com a guloseima.

Saborear um bolo é sinônimo de alegria, prazer. Mas o que era pra ser um momento de festa, acabou se tornando um caso de polícia em uma cidade no Equador. Oito pessoas de duas famílias precisaram ser internadas após se intoxicarem com um bolo de chocolate com um ingrediente inesperado. As vítimas comeram a guloseima que estava “batizada” com maconha.

Uma parente de um hospitalizados, Sobeida Patinõ, contou que foi avisada pela cunhada que ela e o marido não estavam bem. Os dois perceberam que tinham sido drogados. Entre as vítimas estavam duas crianças, de 9 e 11 anos.

A única explicação para todo o transtorno é que tinha algo estranho em um bolo que a família tinha ingerido horas antes na casa de um vizinho. As vítimas foram encaminhadas para um hospital, falando coisas sem nexo e visivelmente “chapados”.

As famílias foram submetidas a exames, que constataram a presença de maconha no organismo das vítimas. Uma jovem que também consumiu o bolo chegou a ter convulsões. “Poderia ter matado alguém”, ressaltou Patinõ.

O bolo teria sido encomendado de uma boleira local. O caso virou denúncia no Ministério Público e a especialista em bolos deve responder pelo ocorrido.