Cidades do sul da Bahia proíbem fogueiras e fogos de artifício no São João

Nada de fogueiras, bombas ou estalinhos nos municípios de Coaraci, Almadina e Itapitanga. As prefeituras locais seguiram a recomendação do Ministério Público do Estado da Bahia (MPBA) e irão adotar medidas para restringir comemorações de São João que reúnam muitas pessoas e possam causar eventuais acidentes.

Na manhã da terça-feira (15), o MPBA publicou o comunicado orientando a suspensão das fogueiras e fogos de artifícios nas cidades. Para o promotor de Justiça Inocêncio de Carvalho Santana, autor das recomendações, o São João é conhecido por ser um período em que os registros de acidentes aumentam. “Os fogos de artifício podem agravar ainda mais a necessidade do uso das emergências hospitalares com a intensificação da demanda na unidade de queimados. Já a fumaça das fogueiras pode agravar a situação causada pelo vírus Sars-Cov-2, causador da covid-19”, destacou.

Para cumprir com as medidas, os municípios precisarão suspender a concessão de alvarás para barracas de venda de fogos, além de proibir toda e qualquer comercialização dos artigos. Quanto aos festejos, a Polícia Militar e as Guardas Municipais de cada uma das cidades foram acionadas para aumentar a fiscalização de eventuais aglomerações.

Em decreto divulgado pela prefeitura de Coaraci, foi definido a proibição, em todo território municipal, de quaisquer festejos juninos, tais como: acender fogueiras em espaços públicos e privados; soltar fogos de artifício; eventos festivos pertinentes ao período, como shows musicais e quadrilhas; e concessão de espaços públicos para realização de eventos particulares.

Para garantir a adoção das medidas, foi determinado que haverá fiscalizações nas ruas para impedir o acendimento de fogueiras, com a aplicação de multa e desmanche em caso de descumprimento.

Além da Guarda Municipal e da Polícia Militar da Bahia, fiscais da Vigilância Sanitária e os destacados pelo Poder Público – Fiscal Covid-19, foram mobilizados para garantir o cumprimento do decreto.

No último boletim de monitoramento divulgado pela prefeitura e Secretaria de Saúde de Coaraci, em 10 de junho, foram registrados um total de 9 casos ativos de covid-19, 68 aguardando resultado de exame e 46 mortes pela doença.

O CORREIO procurou as demais prefeituras para saber mais sobre como a proibição será colocada em prática e as informações serão acrescentadas quando houver retorno.

Jornal Correio da Bahia