Com reformas e construções em alta, preço de materiais dispara e falta até tijolo em lojas

Associação diz que indústrias não acreditaram no setor e diminuíram produção.

Quem está reformando ou construindo percebeu que o preço de materiais de construção subiu durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Conforme pesquisa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o tijolo é vendido pelo dobro do preço.

De acordo com o presidente da Acomasul (Associação dos Construtores de Mato Grosso do Sul), Adão Castilho, o comerciante que antes pagava R$ 500 no milheiro do tijolo está comprando o material por R$ 1 mil.

O motivo é a lei de oferta e procura. “No início da pandemia, houve uma queda de 14% do número de novos empreendimentos, mas as vendas de imóveis cresceram em torno de 20%”, afirmou.

Mídia Max