Delegada “tocava terror” em Madre de Deus e perseguia líder do Bonde do Maluco, diz denúncia

A delegada Maria Selma “tocou terror em Madre de Deus”. É o que diz a fonte anônima do portal  Bahia 190, próxima a Edvaldo Marques Teixeira, o ‘Vado Gordo’, traficante líder do Bonde do Maluco (BDM) que chegou a ser preso em no Rio de Janeiro e transferido para a Bahia, mais especificamente em Salvador.

A delegada e ex-diretora do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio da Polícia Civil da Bahia, Maria Selma, está sendo investigada durante uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público da Bahia por suspeita de integrar uma quadrilha especializada em roubo de veículos, mas não é apenas essa acusação que a policial carrega nas costas.

De acordo com a denunciante, Maria Selma invadia casas em Madre de Deus sem ordem judicial. “Achava que era dona do mundo”, conta. A fonte afirmou que, inclusive, a residência de Vado Gordo já recebeu visitas da delegada, mesmo sem autorização da Justiça, onde a delegada teria feito ameaças contra ele possivelmente a mando de um grupo rival.

“Ela alegava a delegada na época que ele era uma pessoa perigosa e que isso justificava as invasões à residência. Hoje a dúvida que fica é se ele [Vado Gordo] era perigoso ou se ele fazia o jogo dela”, questionou a fonte.