Em pronunciamento, Bolsonaro fala em gripezinha e pergunta “Por que fechar escolas? “

Em pronunciamento no rádio e TV, Jair Bolsonaro voltou a comparar a Covid-19 a uma “gripezinha” ou “resfriadinho”, atacou a imprensa, pediu a prefeitos e governadores para “abandonarem o conceito de terra arrasada”, que inclui “confinamento em massa”.

Bolsonaro fez um pronunciamento no rádio e na TV na noite desta terça-feira (24), e voltou a minimizar a gravidade da pandemia do novo coronavírus.

Bolsonaro voltou a comparar a Covid-19 a uma “gripezinha” ou “resfriadinho” e pediu para prefeitos e governadores “abandonarem o conceito de terra arrasada”, que, para ele, inclui o fechamento do comércio “e o confinamento em massa”.

“O grupo de risco é o das pessoas acima de 60 anos. Então, por que fechar escolas Raros são os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos”, disse Bolsonaro.

Durante o seu pronunciamento, panelaços ocorreram em São Paulo, em bairros como Bela Vista e Santa Cecília, na região central. Também foram registrados protestos em Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador.

Em pronunciamento no rádio e na TV na noite desta terça-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o novo coronavírus (covid-19) está sendo enfrentado e pediu calma à população. “Sem pânico ou histeria, como venho falando desde o princípio, venceremos o vírus e nos orgulharemos”, disse o presidente.

Bolsonaro afirmou que as autoridades devem evitar medidas como proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa. “Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade”, destacou.