Famílias de motoristas de app mortos em chacina devem ganhar seguro de até R$ 100 mil; entenda

As famílias de pelo menos dois dos quatro motoristas de aplicativos mortos em uma chacina na última sexta-feira (13/12) devem receber uma compensação financeira. A empresa 99 informou nesta terça-feira (17/12) que irá pagar um seguro de vida no valor de até R$ 100 mil.

Alisson Silva Damascena dos Santos e Genivaldo da Silva Félix estavam cadastrados na plataforma, além de Nivaldo dos Santos Vieira, que conseguiu escapar com vida. “Além do acolhimento emocional nesse momento de profunda dor, a plataforma está realizando os procedimentos para acionamento de um seguro pessoal que cobre todas as corridas do aplicativo de até R$ 100 mil”, informou a plataforma por meio de nota.

Ainda segundo o comunicado, a empresa está trantando diretamente famílias das vítimas e com o motorista sobrevivente. A Uber foi procurada pela redação do Aratu On, mas até a publicação desta reportagem, não houve resposta.

RELEMBRE

Alisson Silva Nascimento Santos, de 27 anos; Sávio da Silva, de 23; Daniel Santos Silva, 31; e Genivaldo da Silva Filho foram mortos com tiros e golpes de facão em um barraco na comunidade Paz e Vida, na mata escura. Todos eles eram motoristas de aplicativos.

Outro homem, Nivaldo Santos Vieira, também foi rendido pelos criminosos e levado ao local, mas conseguiu fugir. No sábado (14/12), a morte de um traficante identificado como “Jel” foi filmada e divulgada nas redes sociais como sendo o mandante do crime.

Ainda no sábado, uma chacina envolvendo outros dois homens, uma mulher e um bebê aconteceu na avenida Juracy Magalhães, em Salvador. A polícia investiga se essas duas ações criminosas tem correlação entre si.