GREVE: Em decisão ilegal, afiliada da Globo demite 15 jornalistas

Após jornalistas realizarem uma greve de nove dias contra redução salarial, 15 profissionais foram demitidos pela TV Gazeta de Alagoas, afiliada da Rede Globo, e pela TV Mar. Os desligamentos, ocorridos na última quinta-feira (4), são um descumprimento da determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que garantiu a estabilidade dos trabalhadores envolvidos.

O Ministério Público do Trabalho de Alagoas, no entanto, determinou que as TVs revertam em, no máximo três dias, as demissões ilegais dos jornalistas. A reincorporação deve ocorrer até segunda-feira (8). Se não cumprirem a determinação, as emissoras estarão sujeitas a medidas administrativas e judiciais.

De acordo com o Uol, o TRT havia permitido que os contratados fizessem a paralisação por até 90 dias. Os jornalistas estavam revoltados com a redução do piso salarial em 40% em Alagoas.

As TVs Gazeta e Mar são do grupo Arnon de Mello, também responsável pelo site Gazetaweb e pelas notícias de Alagoas no portal G1. O grupo é de propriedade da família do senador Fernando Collor de Mello.

Com a greve, no final de junho, a TV Gazeta teve que levar ao ar uma reportagem do mês anterior sobra a campanha Maio Amarelo. Já o “Cidade Alerta Alagoas”, da TV Pajuçara, afiliada da Record TV, não foi exibido no dia 25 de junho. Colocou no lugar a programação nacional, sem explicar o motivo da mudança. No SBT, o repórter Wadson Correia aderiu à paralisação e protestou nas redes sociais.

Na última quarta-feira (3), o Tribunal Regional do Trabalho decidiu, por unanimidade, manter o piso salarial dos jornalistas e ainda conceder o reajuste de 3%. Com isso, o piso subiu de R$ 3.565,27 para R$ 3.672,22