Jovem morre queimada após mãe deixar vela acesa debaixo da cama dela e trancar a porta

Uma jovem de 18 anos morreu queimada após a mãe deixar uma vela acesa e trancar a filha dentro do quarto, no bairro Lagoa, região de Venda Nova, em Belo Horizonte. Angélica Coelho da Paixão Santana foi atingida pelas chamas na sexta (2) e teve a morte confirmada neste domingo (4), após ter cerca de 70% do corpo queimado.

A Polícia Civil informa que “instaurou procedimento para apurar as circunstâncias do incêndio e da morte da vítima”. A corporação também informa que a mãe dela “será ouvida”. Vizinhos relataram que filha tinha problemas mentais, assim como a mãe.

Segundo informações dos bombeiros, eles foram acionados, contudo, ao chegar ao local, a jovem já havia sido retirada da casa por vizinhos. Angélica teve queimaduras de 2º e 3º grau pelo corpo e foi levada, consciente, ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII.

Aos militares, a mãe da jovem disse que colocou uma vela acesa debaixo da cama da filha, e saiu de casa, trancando a porta, o que impediu a filha de fugir. O incêndio teve início na cabeceira de uma das camas perto de um altar, local onde havia outras velas já queimadas. O fogo também atingiu o quarto e a cozinha. A fumaça chegou a ficar acumulada na altura do teto, cerca de 1,5 metro do solo.

Ao G1, um vizinho da jovem disse que conseguiu retirá-la de dentro da casa e conversou com ela na calçada. “Ela disse que estava com medo do fogo e não sabia onde estava a outra chave. Liguei para o Samu e me orientaram a não deixar ela dormir. Foi uma situação assustadora. Não sabia o que fazer para evitar a dor dela”, contou o vizinho, Deividson Alves.

Por meio de nota, a Polícia Civil disse que “peritos do Instituto de Criminalística foram ao local dos fatos para realizar os trabalhos iniciais. Foi instaurado procedimento investigatório para apurar as circunstâncias do incêndio e da morte da vítima. O corpo da jovem de 18 anos foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) André Roquete e já foi liberado. A mãe da jovem ainda será ouvida pela PCMG”.

G1