Mário Sabino, ex-judoca olímpico, é morto a tiros por colega da PM

492

Corpo do ex-atleta, que participou de 2 olimpíadas, foi encontrado na noite de sexta-feira (25) em Bauru, no interior de SP. Corpo do sargento que o matou estava no mesmo lugar.

O ex-judoca olímpico Mário Sabino foi morto a tiros por um colega da Polícia Militar na noite desta sexta-feira (25), em Bauru (SP), após um desentendimento entre os dois.

O corpo de Sabino, que era cabo da PM e tinha 47 anos, foi encontrado em uma rua do bairro Jardim Niceia. Ao lado dele, estava o corpo do sargento Agnaldo Rodrigues.

“Soubemos que houve um desentendimento entre os policiais militares e [eles] foram achados mortos ao lado de um carro. Não sabemos ainda a circunstância do que possa ter ocorrido, e por isso será aberto inquérito policial”, afirmou o tenente-coronel Ézio Carlos Vieira de Melo, comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar do Interior.

Agentes que atenderam a ocorrência suspeitam que Rodrigues matou Sabino e depois se suicidou. O comandante confirma que o ex-judoca foi morto pelo colega, mas diz não ser possível afirmar no momento que Rodrigues se matou.

O G1 entrou em contato com a Polícia Civil e, até a última atualização desta reportagem, não obteve resposta.

O corpo de Sabino está sendo velado na manhã deste sábado (26) no Centro Velatório Nobre 2, em Bauru. O enterro acontece no Cemitério do Redentor, às 15h. As informações são da Federação Paulista de Judô.

Ele integrava a comissão técnica da Seleção Brasileira de Judô e conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de 2003, em Santo Domingo, na República Dominicana.

Também tinha uma medalha de bronze no mundial de Osaka, no Japão, em 2003, além de ser bicampeão pan-americano de masters.

Federações de Judô lamentam

A Federação Paulista de Judô lamentou a morte. “A família do judô brasileiro amanheceu de luto neste sábado”, disse a entidade, em comunicado.

“A Confederação Brasileira de Judô expressa seu mais profundo pesar e consternação pela perda repentina e trágica de um judoca, amigo e professor. Mário Sabino Júnior será lembrado para sempre e com carinho por toda a família do judô brasileiro.”

Em uma homenagem póstuma, foi feito um minuto de silêncio na cerimônia de abertura da Seletiva Nacional Sub-18, em Canoas (RS).

A nadadora Joanna Maranhão também comentou em seu perfil no Twitter: “Inacreditável. Descansa em paz, Marião.”

G1