Médico de 47 anos morre de covid-19 após esposa pedir para ele deixar o trabalho em UTI

Um médico diabético de 47 anos morreu de covid-19 dois meses após a esposa pedir para ele parar de trabalhar na Unidade de Tratamento Intensivo com pessoas contaminadas pela doença. A transmissão pelo novo coronavírus em Santa Izabel (SP). As informações são do G1 Mogi das Cruzes e Suzano.

Em maio, a esposa de Orlando Tavares Pinheiro, pediu para que o marido deixasse o trabalho no plantão da unidade de saúde e recebeu a seguinte mensagem como resposta:

“Cada um no seu papel, fui treinado minha vida toda para isso, meu lugar é aqui, na frente de batalha, é o que eu sei fazer. Temos de nos cuidar, mas não dá para recuar. Eu amo muito vc e as meninas, por isso me cuido, mas as vezes tenho um pouco de medo, acho que é normal, né?”, escreveu o médio.

Arlete Alves da Silva, de 37 anos, esposa de Orlando, é diretora de Saúde da Prefeitura de Santa Isabel. Eles foram casados durante 14 anos e tiveram duas filhas.

Orlando foi diagnosticado no dia 18 de junho e acabou falecendo no dia 21 de julho. Arlete lembrou o quanto o médico se dedicava à profissão. “Ele sempre dizia a seguinte frase: ‘uns nascem para ser médicos e outros nascem médicos.’ Ele tinha muito medo de se contaminar e levar o vírus para casa”, relatou ao G1.

O amigo do médico, Marcelo Arena, sempre conversada com ele durante o período de internação, onde ficou consciente até o dia em que foi entubado. “Ele sabia que seria entubado e ficou triste porque sabia o sofrimento do paciente entubado. Teve altos e baixos nesse período. Um dia bem e outro mais grave. Ficou entubado até falecer”, contou Arena ao G1.