Mulher faz sabonete com leite materno e produto faz sucesso na web

Mulher faz sabonete com leite materno e produto faz sucesso na web

Ashley White, 31 anos, decidiu usar seu leite para resolver o problema de pele da sua filha mais velha Mylee, 10, depois de dar à luz a caçula Mia em abril deste ano. Depois de procurar muitas soluções para o eczema, ela viu que algumas mães usam o leite materno para tratar o problema e decidiu experimentar na forma de sabonete.

Como muitas mães, ela sofreu para amamentar a caçula nos primeiros dias. “Foi uma luta no começo porque Mia não pegava, mas depois que conseguiu mamar eu comecei a tirar e estocar o leite no freezer. Com um estoque na geladeira, fui procurar maneiras de usar meu leite porque eu não queria que ele fosse desperdiçado”, diz Ashley.

Como ela tinha ouvido dizer que os produtos lácteos e o leite materno eram ótimos para eczema, deciciu fazer sabonete usando o leite, glicerina e óleos essenciais. “Por enquanto, eu e meu marido Paul só usamos os sabonetes em nossas mãos. Já Mylee e Mia tomam banho com ele. Além de ajudar no eczema da Mylee, percebemos que nossas mãos não estão tão secas ao usar esse tipo de sabonete”, diz.

Com uma geladeira cheia de leite e começando a fazer estoque de sabão, Ashley disse que foi procurada por várias mães interessadas no sabonete artesanal e que pretende vender o produto. “Tenho 99% de certeza de que vou vender os sabonetes, mas ainda não pensei em um nome comercial ou algo assim”, disse ela ao The Sun.

O que é eczema e quais as recomendações de tratamento?

O eczema é uma inflamação na pele que pode ser aguda ou crônica e afeta especialmente as crianças. Mais de 20% das que apresentam o quadro precisam lidar com efeito mais severos e com tratamento de custo considerável para os pais. Um recente estudo descobriu que o risco de dermatite atópica (um dos tipos de eczema) cai para metade quando os recém-nascidos são hidratados diariamente até os seis meses (pelo menos cinco vezes na semana e pelo corpo todo, exceto no couro cabeludo).

A Presidente do Departamento de Dermatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, Vânia Carvalho explica que a dermatite atópica é uma doença que apresenta uma alteração na barreira cutânea. “Normalmente nossa pele funciona como se fosse um muro de tijolos, impedindo a penetração de substâncias que potencialmente causam alergias nas pessoas predispostas. Nas crianças com dermatite atópica esta barreira não é efetiva”, afirma a médica.

Segundo a pediatra Vânia Carvalho, especialista em dermatologia infantil, os hidratantes são utilizados para o tratamento de dermatite atópica, pois reestabelecem a barreira cutânea alterada, diminuindo a permeabilidade da pele e prevenindo o ressecamento. Eles podem ser usados até em recém-nascidos, desde que o produto seja destinado a essa faixa etária. A recomendação da SBP é que famílias com histórico de alergias consultem o pediatra sobre a necessidade de hidratação da pele do bebê.

Salvador Notícia