Uma mulher de 38 anos procurou a delegacia de Lauro de Freitas para relatar um incidente perturbador. Ela alega ter feito um procedimento espiritual no terreiro de candomblé Ile Axe Opo Aganju. Agora, está grávida de 4 meses e acredita que o Pai de Santo a estuprou.

A vítima, que preferiu não se expor, conta que o trabalho no terreiro foi realizado em agosto e tinha como objetivo uma limpeza espiritual. Além disso, realizou uma obrigação durante o mesmo período. No entanto, algo inesperado aconteceu; a mulher descobriu que estava grávida.

Ainda segundo a mulher, nos últimos 3 anos, ela não teve nenhum tipo de relacionando, tornando a gravidez ainda mais surpreendente. Agora, a vítima está enfrentando uma decisão sobre o que fazer com a criança que está esperando. Além disso, ela está buscando apoio legal e médico para lidar com sua saúde debilitada. De acordo com os advogados Felipe Martins e Lisa Cardoso, a vítima tem o direito de interromper a gravidez, caso seja comprovado o estupro.