Mulher passa álcool para se proteger do coronavírus e o pior acontece; médico faz alerta

A pandemia do novo coronavírus vem assolando o mundo inteiro e crescendo cada vez mais, devido ao seu fácil contágio. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou medidas a serem adotadas para que esse contágio seja freado. Entre essas medidas, está uma melhor higienização das mãos, com álcool em gel ou água e sabão.

No Brasil, uma dona de casa de 43 anos de idade, foi internada às pressas no Hospital da Restauração (HR), na cidade de Recife. Segundo informações dos vizinhos, a mulher passava álcool no corpo para se proteger contra o coronavírus quando o pior aconteceu.

A dona de casa teve seu corpo incendiado, devido ao alto teor inflamável da substância. As chamas teriam dado início acidentalmente com o cigarro que a mulher fumava, acredita os vizinhos.

A vítima é residente da zona rural do município de Cachoeirinha, localizado no Agreste de Pernambuco. Quando os vizinhos perceberam o incêndio, já era tarde, encontraram a mulher desacordada e com o corpo todo queimado, necessitando ser entubada.

Médico faz alerta sobre o uso doméstico do álcool

O álcool em geral é um meio muito útil na descontaminação das mãos, mas se deve utilizar com cuidado, por ser uma substância altamente inflamável.

O Dr. Marcos Barreto, chefe do Centro de Tratamento de Queimados do Hospital de Restauração, faz um alerta sobre a substância: “Todo mundo preocupado com coronavírus, mas não pode esquecer do que o álcool pode causar. É preciso bom senso. O álcool pode matar. O álcool a 70% líquido é um dos mais inflamáveis, depois do álcool de posto. Se houver um acidente, o que tiver em um raio de dois ou três metros vai pegar fogo também”.

O álcool em gel teria menos potencial de acotencer um incidente por ser gelatinoso, mas, as precauções ainda devem ser tomadas.