Primeira parcela do décimo terceiro 2020: cai nesta segunda-feira (30)

Dinheiro cai na segunda-feira. Momento pode ser oportuno para priorizar a quitação de dívidas de cartão de crédito e cheque especial, além de organizar as finanças para o próximo ano.

A primeira parcela do décimo terceiro salário pago pelas empresas cai na segunda-feira (30) na conta de milhões de trabalhadores brasileiros. Com a crise provocada pelo novo coronavírus e diante do cenário de incertezas que assola o país devido ao medo de uma segunda onda, é importante estabelecer prioridades antes de sair gastando a grana extra.

A primeira parcela do décimo terceiro salário pago pelas empresas cai na segunda-feira (30) na conta de milhões de trabalhadores brasileiros. Com a crise provocada pelo novo coronavírus e diante do cenário de incertezas que assola o país devido ao medo de uma segunda onda, é importante estabelecer prioridades antes de sair gastando a grana extra.

Na sequência, 30% dos trabalhadores pretendem economizar o dinheiro e 21% vão priorizar o pagamento de contas básicas da casa, como água e luz.

Apesar do elevado percentual de pessoas que desejam recorrer ao décimo terceiro para ir às compras, na avaliação da assessora de investimentos e sócia-fundadora do escritório Ikedo Investimentos, Luciana Ikedo, o momento é oportuno para organizar as contas.

“Para aqueles que tiveram a renda reduzida e precisaram usar suas reservas financeiras e/ou recorrer ao endividamento, o primeiro passo que deve ser dado é a quitação das dívidas mais caras, como utilização do limite do cheque especial ou, ainda, o parcelamento da fatura do cartão de crédito”, afirma.

E, mesmo que não dê para quitar todas as dívidas com o valor do 13º, pode ser uma boa hora para negociar os pagamentos que estão em atraso.

Já quem não tem dívidas para pagar deve aproveitar o décimo terceiro para guardar o máximo de recursos possíveis e, assim, constituir uma reserva de emergência. Segundo Luciana, esse dinheiro deve ser investido em ativos com fácil acesso, pouco voláteis e com baixo risco, como os fundos DI, Tesouro Selic ou CDBs com liquidez diária.

“A maior causa do endividamento das famílias é a ausência de uma reserva que possa ser acessada nos momentos turbulentos”, destaca.

Existem ainda aqueles que, além de conseguirem reduzir as despesas desnecessárias, já têm uma reserva de emergência constituída. Para essas pessoas que fizeram a lição de casa, o conselho é gastar conscientemente os recursos do décimo terceiro e evitar o consumo exagerado, além de optar pelas compras à vista.

“É importante refletir sobre as reais vantagens e necessidades de cada aquisição. Caso as compras sejam indispensáveis, não esqueça de pesquisar os melhores preços e negociar. Também estabeleça um valor máximo para o gasto com presentes. Em um ano como 2020, vale investir em lembranças com valores mais modestos e com algum significado para quem ganha”, comenta a gerente de Desenvolvimento de Negócios da Central Sicredi, Adriana Zandoná França.

Outra opção é diversificar o portfólio de investimentos, buscando ativos de longo prazo e que possam ter uma rentabilidade mais atrativa.

Além das pendências que restaram de 2020, vale lembrar que o ano novo também traz outras contas fixas, como IPVA, IPTU e despesas com material escolar, para quem tem filhos. Como observa Adriana, “separar uma parte do décimo terceiro para as tradicionais contas do início de ano ajuda na organização e no planejamento financeiro. Dessa forma, ao quitar as despesas, fica mais fácil de controlar o orçamento durante o ano”.

Com informações Valor Investe.