“Quero rosas brancas enfeitando meu caixão”, disse técnico de enfermagem antes de morrer

A mãe do técnico de enfermagem Klediston Kelps, 22, que morreu após complicações da COVID-19 no último sábado (25), divulgou uma das últimas conversas que teve com o filho e revelou o último desejo da vítima antes de morrer.

Elisângela da Silva Faria, 40, contou ao G1 que o filho mandou uma mensagem para ela e para o grupo família momentos antes de ser entubado, informado que não iria resistir a doença.

Ainda segundo a mulher, em suas últimas mensagens, Kleidson chegou a pedir rosas brancas e uma vermelha em seu velório. De acordo com Elisângela, o desejo do filho não pode ser atendido, pois não houve velório devido ao caixão estar lacrado, mas que colocou as flores no local onde o jovem foi enterrado.

Kleidson deu entrada em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade de Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, no estado do Mato Grosso. Ele chegou a ser tranferido no dia 18 de julho para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde ficou sete dias internado, mas não resistiu.

Segundo familiares de Klediston, o jovem teve dengue semanas antes e, devido ao sistema imunológico debilitado, não resistiu ao novo coronavírus.

A vítima chegou a fazer testes de COVID-19, mas todos deram negativo. Quando o Klediston foi diagnosticado com a doença, os sintomas eram mais fortes.

O estado do Mato Grosso computa cerca de 46 mil casos de COVID-19 e 1.669 óbitos.

Foto: Reprodução