Subiu para 29 o número de mortos pelas fortes chuvas que atingem o Rio Grande do Sul. A informação foi feita pelo governador do estado, Eduardo Leite (PSDB), nesta quinta-feira, 2, durante uma coletiva de imprensa em Porto Alegre.

Ao menos 60 pessoas seguem desaparecidas. “Infelizmente sabemos que esses números vão aumentar. Temos 60 desaparecidos registrados e mesmo esse número tende a ser maior. Sabemos que há pessoas desaparecidas em lugares inacessíveis”, disse Eduardo Leite.

Nesta quinta, devido às enchentes, parte da barragem 14 de Julho, localizada entre os municípios de Cotiporã e Bento Gonçam, se rompeu. A defesa civil pediu que os moradores de Santa Tereza, Muçum, Roca Sales, Arroio do Meio, Encantado, Colinas e Lajeado devam procurar abrigos públicos ou outros locais seguros para permanecerem durante a elevação de nível do rio Taquari.

Ao menos 154 municípios foram afetados com as chuvas. O governador também frisou para que os gaúchos se abriguem em locais seguros, longe de áreas de alagamento apontadas pelo órgão.

“O meu dever aqui, como governador, é fazer com que as pessoas compreendam que a situação que estamos vivendo é absurdamente excepcional. É o momento mais crítico que o estado terá registro na sua História”, acrescentou. “É impossível atendermos todos os resgates com as condições climáticas que estamos vivendo”

O estado atualizou os dados em último balanço divulgado nesta quinta. O número de pessoas em abrigos é de 4.645, de desalojados, 10.242, de afetados, 71.306, e de feridos: 36.