Sete pessoas morreram e três estão desaparecidas após uma embarcação naufragar no município de Madre de Deus, Região Metropolitana de Salvador, na noite deste domingo, 21. A confirmação é da Prefeitura de Madre de Deus, por intermédio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).


A embarcação, que levava 16 passageiros, fazia o trajeto entre a Ilha Maria Guarda e a sede do município de Madre de Deus, que em média dura entre 10 a 12 minutos.

Ao Portal A TARDE, a Prefeitura de Madre de Deus informou que um desentendimento foi registrado na embarcação que levava dezesseis pessoas. Destas, cinco pessoas estão internadas em observação e duas tiveram alta.


Ainda de acordo com a Prefeitura, algumas crianças foram resgatadas e já estão sob cuidados médicos. O órgão disse que continua com a força-tarefa para resgatar as três pessoas que ainda estão desaparecidas.

O prefeito de Madre de Deus, Dailton Filho (PSB), em conversa com o Portal A TARDE, lamentou o ocorrido.

“Muito triste esse acontecido. Nossas equipes estão mobilizadas para prestar todos os atendimentos e ajudas possíveis”, disse.

Em nota, a Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando do 2° Distrito Naval, informa que tomou conhecimento, na noite desse domingo, 21, da ocorrência de um naufrágio de embarcação que realizava o transporte de passageiros na região entre a Ilha de Maria Guarda e Madre de Deus, no interior da Baía de-Todos-os-Santos.


Uma equipe de Busca e Salvamento (SAR) da Capitania dos Portos da Bahia (CPBA) foi enviada ao local para conduzir as buscas dos possíveis desaparecidos, em conjunto com outros órgãos, além de apurar o ocorrido e coletar informações.

O Comando do 2º Distrito Naval está, adicionalmente, reforçando a operação de busca e salvamento com o Aviso de Patrulha “Dourado” e a Lancha de Inspeção Naval Blindada “Guaiúba”, pertencentes ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Leste.

Participam das buscas uma embarcação da Companhia de Polícia de Proteção Ambiental – COPPA-PMBA; uma aeronave do Grupamento Aéreo – GRAER; e outras embarcações civis.

Um inquérito vai ser instaurado para apurar as causas e circunstâncias do acidente. Concluído o procedimento e cumpridas as formalidades legais, os documentos serão encaminhados ao Tribunal Marítimo.