Vídeo: Mulher é agredida com soco no rosto e vai presa ao tentar registrar boletim em Salvador

Uma mulher de 33 anos foi agredida com um soco no rosto, em 23 de agosto, no bairro Alto da Teresinha, após se recusar a se relacionar com o agressor. Em entrevista ao G1, a vítima conta que foi presa por desacato após tentar registrar a queixa na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), de Pariperi.

A vítima conta que conhecia o suspeito com que se relacionou há cerca de cincoo anos. “Ele procurou intimidade comigo e eu não quis. Não tenho nada a ver com ele. Ele mexeu comigo, eu tentei me defender e ele fez o que fez. Nós ficamos há cinco anos, nem chegamos a namorar. Aí nesse dia ele me chamou para conversar e eu fui, não sabia quais eram as intenções dele. O que ele fez comigo foi uma agressão”, disse ao G1.

No vídeo gravado por pesssoas que presenciaram a agressão, a vítima pede para que o suspeito não a empurre e, sem seguida, o homem dá um soco no rosto dela, que fica desacordada por alguns segundos após cair e bater a cabeça.

“Ele me deu um soco no rosto. Eu fiquei muito machucada, minha boca partiu. Eu uso aparelho dentário, e minha sorte é que não arrancou o aparelho da minha boca. Fiquei alguns segundos desacordada. Depois eu chamei a viatura para ir na delegacia”, lembra ela.

Ao chegar no Deam de Periperi para registrar a queixa, segudo ela, foi impedida pelos policiais de registrar a ocorrência. “Eles [policiais] queriam que eu desse queixa em outra delegacia, mas eu falei que a queixa tinha que ser na Deam porque eu tinha sido agredida por um homem. Aí quando eu insisti, eles me puxaram e me algemaram. Tinha gente lá que viu isso tudo. Me levaram para a Central de Flagrantes, alegando que eu tinha falado palavras de baixo calão e registraram queixa como desacato”, conta ela”, relembrou.

Além disso, durante a entrevista, a vítima relata que não conseguiu fazer o exame de corpo de delito. “Eu quero que ele seja preso pelo que ele fez comigo. Eu tento dar queixa desde quando isso aconteceu e é sempre a mesma coisa. Nunca tem delegada, nunca pode registrar a queixa. Para no fim disso tudo, os policiais ainda me prenderem por desacato. O atendimento todo da Deam é péssimo”, reclamou ela.

Varela Notícias