Volta às aulas só deve acontecer com taxa de ocupação de UTI abaixo de 65%, diz Neto

Segunda fase da retomada já deve estar consolidada para que isso ocorra, afirma.

A retomada das aulas em Salvador só deve ser autorizada quando a taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 estiver abaixo de 65% e sem risco de aumento, afirmou na segunda-feira (3) o prefeito ACM Neto, em entrevista à Record do Rio Grande do Norte. Hoje, essa taxa está em 69%.

“Não há hipótese de autorizarmos o retorno às aulas com uma taxa de ocupação acima dos 65%. Tem que estar abaixo disso e é preciso que não haja risco de aumento”, disse.

O prefeito lembrou que Salvador ainda vive a primeira fase da retomada e que nem bares e restaurantes estão funcionando na cidade. “No caso da educação, eu inclusive preferi não estabelecer um protocolo conjunto com essas atividades econômicas”, acrescentou.

“Só vamos apresentar o protocolo de retomada das aulas presenciais depois que a segunda fase do plano de retomada econômica for ativada e estiver consolidada”, disse. Há expectativa de que a segunda fase comece na segunda (10), segundo disse na manhã desta quarta (4) o prefeito.

Neto afirmou que a prefeitura sabe que a educação é uma área que precisa de muito cuidado. “A gente sabe que Educação é um vetor e traz um risco muito alto de contaminação e as crianças, no caso de Salvador, principalmente no Ensino Fundamental II e EJA, estão tendo aula à distância. Oferecemos um canal aberto de TV e chips para todas as crianças terem aula à distância e também pela internet”, finalizou.

Em julho, Neto afirmou que a possibilidade das aulas serem retomadas agora em agosto era “quase nula”. “Acho mais provável, mais possível, que possa voltar em setembro, caso as coisas corram bem”, disse na ocasião.

Jornal Correio da Bahia