‘Ele a esfaqueou quando ela estava de joelhos orando por ele’, diz irmã de mulher morta em Salvador

Evangélica, Rosilene Souza Barbosa, 42 anos, tinha o hábito de intensificar as orações toda vez que o companheiro, o segurança Micácio Santos, começava a agredi-la verbalmente. Na noite do último sábado (3) não foi diferente. Pôs-se de joelhos e começou a pedir a intervenção divina. No entanto, Micácio, armado com duas facas, uma em cada mão, atacou a vítima pelas costas, no bairro de São Gonçalo do Retiro, em Salvador.

“Esse monstro a esfaqueou quando ela estava de joelhos, orando por ele. Toda vez que brigavam, ela pediu a Deus para dar livramento a ele. Um covarde. Pegou minha irmã pelas costas. Um covarde”, desabafou ao CORREIO, por telefone, a irmã de Rosilene, Lindinaval Souza Barbosa, 41. Lindinaval está em Alagoinhas, cidade de origem da família, para o enterro da irmã, marcado para as 14h dessa segunda.

O corpo de Rosilene foi liberado no final da tarde deste domingo. “O laudo do IML [Instituto Médico Legal] diz que minha irmã tomou seis facadas, três em cada lado”, contou Lindinalva.

A irmã disse que a família não sabe o motivo real do crime. “Ela só vivia para ela. Há quatro meses ela sofreu um aborto espontâneo por causa dos problemas de saúde. Ela era diabética e obesa, mas queria dar um filho a ele. Foi quando decidiu frequentar academia para emagrecer. Ela fazia de tudo pra esse homem. Na semana do crime, ninguém ficou sabendo de briga entre eles. Estamos sem saber de fato o que houve”, disse ela.

Apesar de família desconhecer o motivo que levou Micácio ao crime, o casal tinha brigas constantes por causa de ciúmes do segurança. “Na frente da gente, os dois nem pareciam que brigavam. Mas com ela, ele não gostava que ela atendesse as nossas ligações, que ela andasse com outras mulheres da igreja. Tudo por causa do ciúme. Ela contava isso, mas acreditava que ele ia mudar um dia”, contou a irmã da vítima.

Ela relatou que, há nove anos, Micácio deu um soco no rosto de Rosilene. “Ele teve uma crise de ciúmes e fez isso. Pra mim era para ela não mais voltar, mas ele ficou insistindo durante quatro meses e ela acabou cedendo”, disse.

Autor do crime preso
Em nota, a Polícia Militar (PM) informou que policiais da 23ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Doron) foram acionados pelo Centro de Comunicação Integrada (Cicom), órgão da Secretaria de Segurança Pública (SSP) para atender a uma denúncia de agressão a uma mulher na Travessa 8 de Dezembro. “No local, a guarnição encontrou agentes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) socorrendo a vítima, que foi agredida pelo companheiro, porém não resistiu aos ferimentos”.

Ainda segundo a PM, a área foi isolada e o Serviço de Investigação em Local de Crime (Silc) acionado para realizar perícia e remoção do corpo. “Os militares deslocaram até o Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), onde localizaram e conduziram o suspeito para o Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP)”.