Motorista de aplicativo é assaltada e estuprada: ‘duas horas de terror’

Uma motorista de transporte de passageiros por aplicativos identificada por Adélia Neta, 36, foi assaltada, estuprada, mantida refém e teve o carro levado por três bandidos, na noite de domingo (20), na Zona Oeste do Recife.

“Foram duas horas de terror. Quero pensar que foi pesadelo”, disse em entrevista a um site de notícias do Globo.

Adélia contou que recebeu uma chamada nas proximidades da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá, na Zona Oeste. A ligação foi feita pelo telefone de uma mulher, cadastrado com 23 viagens solicitadas ao aplicativo InDriver.

A motorista parou o carro para a entrada de dois homens. Cem metros depois desse ponto inicial, outro rapaz embarcou no veículo, uma Spin prata.

“Eles colocaram alguma arma no meu pescoço e me levaram para um matagal. Um ficou comigo e dois saíram com o veículo. Acredito que eles usariam o carro para algum assalto”, comentou a vítima.

Adélia afirmou que ficou com o homem durante cerca de duas horas. Ela disse ter implorado para ele não praticar crimes sexuais. “Me agarrei com ele e chorei muito. Disse para ele pensar e perguntei se ele tinha mulher, mãe e filha. Foi nojento. Eu dizia para não fazer e ele parava, mas depois voltava. Acho que foi uma intervenção divina, pois não teve sexo”, declarou.

Segundo a polícia, três homens foram presos em flagrante na segunda-feira (21). A corporação informou que a Delegacia de Boa Viagem, na Zona Sul, autuou dois deles por roubo com restrição de liberdade. O terceiro também vai responder por estupro. com portaldoholanda